Skip to content

DDOS no Laboratório (FUN MODE)

13 de janeiro de 2007

 

Sexta-feira, 12 de Janeiro de 2007.

Começo a escrever este post de dentro de um laboratório, aguardando que me chamem para tirar meu sangue (literalmente). De repente as coisas começam a aparecer na minha cabeça como uma visão do John Nash no filme "Uma Mente Brilhante". Isso significa que estou ficando inteligente, louco os os dois.

Voltando a meus devaneios, na hora de pegar a senha em uma maquininha você escolhe (analogamente um router de entrada do laboratório) entre cliente normal ou idoso e gestante. Eu peguei uma senha normal e constatei que tinham 18 pessoas na minha frente. Como tinha chegado às 6:30, poderia ficar lá até no máximo 7:30 e ainda chegar a tempo para a reunião do Infosec às 8:00. Ai começa meu drama…

Sentei-me perto da porta e vi uma senhora idosa chegando. Pouco depois ela vem com um papel na mão e comenta com a filha: Nossa, já chamou? Neste momento achei interessante este benefício ter funcionado, parecia que o controle de QOS do router funcionava bem e roteava os idosos para a bateria de atendentes (cluster de servidores) que digitavam a imensa lista de exames de cada um. Pouco depois entram duas cadeiras de rodas com idosos, e mais algumas cabeças grisalhas andando. Neste momento percebi que as 18 pessoas que estavam na minha frente na fila se multiplicariam rapidamente…

Nem com um load balancing bem implementado entre os atendentes eu não conseguia chegar até um deles. A cada senha (analogamente um pacote) normal processada era processadas de 1 a 5 de idosos Começei a olhar para o relógio e via que meu TTL estava expirando…

Quando alcançamos o final de meu horário limite, concluí que os idosos de toda São Paulo deviam ter planejado um ataque DDOS àquele laboratório. Eles vinham de todos os lados, passavam pelo roteador e causavam indisponibilidade quase total para os outros clientes. Sai sem exame a agora me preparo para mais uma noite de jejum, amanhã tento novamente.

Obs: A Fila prioritária é um avanço com o qual concordo e respeito, a intenção era rir de meu infortunio, porque rir da desgraça dos outros é pecado🙂

One Comment
  1. Fernando permalink

    Oi Fernando,
     
    Eu passei por situação parecida uma vez na Suécia. Uma dente resolveu inflamar lá, e depois de ralar muito consegui chegar em um dentista e pegar a quarta senha da fila. O detalhe no entanto é que lá as crianças passam na frente da fila, e a espera ficou interminável com pirralho após pirralho chegando para ser atendido (e o maldito dente doendo)!  Foram três horas de sofrimento, pensando o quanto Herodes foi injustiçado pela História…
     
    Abraços,
     
    – Fernando Cima

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: